15 maio 2018

OMS quer eliminar gorduras "trans" da alimentação em 5 anos Destaque

A Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou esta segunda-feira um plano para ajudar os países a eliminar gorduras 'trans' da alimentação da população até 2023, segundo um comunicado ontem divulgado.
 
A OMS considera que a eliminação das gorduras 'trans' (processadas a nível industrial) é "fundamental para prevenir mortes em todo o mundo", uma vez que o consumo deste tipo de alimentos é responsável pela morte de mais de 500 mil de pessoas, anualmente, em consequência de doenças cardíacas.
 
"Porque devem as nossas crianças ter um ingrediente inseguro nos seus alimentos?", pergunta o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, no comunicado, salientando ainda que implementar a estratégia da OMS para substituir gorduras trans, incluindo promover alternativas saudáveis e legislar contra ingredientes prejudiciais, iria removê-las da cadeia alimentar e marcar uma vitória maioria contra doenças cardíacas.
 
Vários países desenvolvidos têm eliminado virtualmente gorduras trans, ao impor limites nas quantidades permitidas em alimentos embalados. Alguns deles até chegaram a proibir parcialmente óleos hidrogenados, a principal fonte de gorduras trans produzidas industrialmente, disse a OMS.

Contactos

M. Largo de São Sebastião da Pedreira, 31 - 4º
1050 - 205 LISBOA

T. (+351) 21 352 88 03
F. (+351) 21 315 46 65

E. Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.